RASTREAMENTO DOS CASOS DE MALÁRIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO NO PERÍODO DE 2007 A 2017

Autores

  • Camila Silva Cota
  • Romulo da Silva Viana
  • Diego da Silva Sales
  • Camila Henriques Nunes
  • Karla Rangel Ribeiro Instituto Federal Fluminense
  • Camila Mendonça Romero Sales

DOI:

https://doi.org/10.29184/1980-7813.rcfmc.486.vol.16.n1.2021

Palavras-chave:

Malária, Rio de Janeiro, Prevalência

Resumo

A malária é um problema mundial de saúde pública que vem tendo um desenvolvimento significativo nos últimos tempos. O maior número de casos se concentra na região Amazônica, entretanto há uma carência de estudo sobre a doença nas outras regiões, como é o caso do estado do Rio de Janeiro. O principal objetivo é observar, através de cálculos de prevalência, as regiões e as cidades do estado do Rio de Janeiro mais afetadas. Os dados utilizados durante a pesquisa para a obtenção dos resultados foram adquiridos por meio do Banco de Dados do Sistema Único de Saúde (DATASUS). Com os valores de prevalência calculados, foram construídos gráficos distintos que possibilitaram a análise do desenvolvimento de malária nas regiões e cidades do estado. As regiões que se destacaram com maior prevalência da doença foram: Serrana, Norte e Metropolitana, juntamente às cidades de Santa Maria Madalena, Macaé e Rio de Janeiro respectivamente. Pode-se dizer que o maior desenvolvimento de malária nas áreas citadas está diretamente relacionado com as características ambientais da região como: vegetação, clima, saneamento e temperatura, além do número populacional e fluxo de pessoas. Para a minimização da malária nas regiões, determinadas medidas poderiam ser realizadas, como por exemplo, melhora no saneamento básico com foco no tratamento de esgoto, melhoria nas condições de habitação, conscientização da população juntamente à visitas domiciliares constantes por agentes de saúde.

Downloads

Publicado

2021-04-30

Edição

Seção

Artigos Originais