SÍNDROME INFLAMATÓRIA MULTISSISTÊMICA PEDIÁTRICA (SIM-P) TEMPORALMENTE ASSOCIADA À COVID-19

Autores

  • Eliane Cristina Casimiro Alves Dias faculdade de medicina de campos
  • Carolina Dias Azevedo faculdade de medicina de campos
  • Gabriel Fernandes Maciel da Silva faculdade de medicina de campos
  • Gabriela Barbosa e Silva faculdade de medicina de campos
  • Ligia de Lima e Silva faculdade de medicina de camposli

DOI:

https://doi.org/10.29184/1980-7813.rcfmc.408.vol.15.n2.2020

Palavras-chave:

COVID-19; Doença de Kawasaki; Síndrome Inflamatória; SARS-CoV-2; Pediatria.

Resumo

Introdução: A pandemia pela COVID-19 é menos incidente na população pediátrica quando comparada à adulta, sendo apenas 2% dos casos abaixo dos 20 anos. Recentemente, a infecção pelo SARS-CoV-2 em crianças e adolescentes está sendo associada a Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P), doença de Kawasaki-like. Objetivo: Relatar a ocorrência de uma das apresentações clínicas da COVID-19 na infância, a SIM-P, ressaltando suas manifestações clínicas, laboratoriais e manejo clínico. Descrição do Caso: Feminina, 9 anos, admitida com dor abdominal e febre há três dias, além de contato domiciliar com infectado pelo SARS-CoV-2 nos últimos 30 dias. Encontrava-se febril, com sobrepeso e abdome distendido em região epigástrica. Evoluiu com máculas eritematosas em dorso, edema e fissuras labiais, artralgia, mialgia, vômitos, hemorragia subconjuntival, língua em framboesa, sudorese, taquidispneia e tonteira. Exames com hemoglobina de 11,4 g/dL, 4.200 leucócitos, proteína C reativa de 18 mg/dL, tomografia computadorizada de tórax com pequenos linfonodos no espaço pré-vascular. Recebeu 1,5 mg/kg/dia de Imunoglobulina Humana com rápida regressão e melhora clínica. Discussão: A SIM-P ocorre em dias a semanas após uma infecção aguda pelo SARS-CoV-2. Suas manifestações clínicas se assemelham à doença de Kawasaki. Na maior parte dos casos, o teste de SARS-CoV-2 PCR é positivo demonstrando infecção recente, ocorrendo em crianças mais velhas, com marcadores inflamatórios exuberantes e disfunção de múltiplos órgãos. Conclusão: Estudos epidemiológicos e clínicos adicionais são necessários para melhor compreensão da fisiopatologia dessa nova síndrome. Embora rara, é necessário alertar a comunidade pediátrica, para ampliar e otimizar o reconhecimento com tratamento precoce da mesma.

Downloads

Publicado

2020-10-14

Edição

Seção

Relato de Caso