Avaliação de APRIL no soro de pacientes com Tireoidite de Hashimoto

Autores

  • Adriana Carvalho Santos Universidade Federal Fluminense
  • Paulo Travassos Neto
  • Lia Rafaella Ballard Kuhnert
  • Marcelo Ribeiro Alves
  • Rita Vasconcellos
  • Luciene Carvalho Cardoso-Weide
  • Déa Serra Villa-Verde
  • Carla Eponina Carvalho-Pinto

DOI:

https://doi.org/10.29184/1980-7813.rcfmc.269.vol.16.n1.2021

Palavras-chave:

Tireoidite de Hashimoto, APRIL , resposta inflamatória

Resumo

A Tireoidite de Hashimoto (TH) é uma doença autoimune e inflamatória na qual os anticorpos são direcionados contra a glândula tireoide, levando à inflamação crônica e ao hipotireoidismo. A tireóide peroxidase (TPO) e a tireoglobulina (TG) são os principais autoantígenos e esta autoimunidade pode estar relacionada a fatores genéticos e ambientais. A TH é caracterizada pela ativação de células T CD4+ autoreativas, células T citotóxicas CD8+ e células B produtoras de anticorpos antitireoidianos. Entre várias citocinas relacionadas à patogênese da TH, um ligante indutor de proliferação (APRIL) tem sido estudado no contexto do estabelecimento e/ou manutenção de doenças autoimunes. O papel da citocina APRIL na patogênese da TH ainda é pouco compreendido, portanto, o presente estudo teve como objetivo dosar a concentração sérica de APRIL em pacientes com TH e indivíduos  saudáveis pela técnica de  ELISA. Observamos uma diminuição significativa na concentração de APRIL em pacientes com TH quando comparados ao grupo controle, além de uma correlação positiva entre concentração de APRIL e a idade dos pacientes. Nossos resultados sugerem que a molécula de APRIL pode compor o perfil de citocinas ao longo da resposta inflamatória na TH, no entanto, outras investigações devem ser propostas para entender seus mecanismos moleculares por meio de receptores específicos e outras alças regulatórias.

Downloads

Publicado

2021-04-30

Edição

Seção

Artigos Originais