PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DE PACIENTES INTERNADOS EM UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA NEONATAL

  • Maryana Neves de Souza Faculdade de Medicina de Campos.
  • Eduardo Shimoda Universidade Candido Mendes - UCAM, Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro
  • Shaytner Campos Duarte Faculdade de Medicina de Campos.
Palavras-chave: Mortalidade Infantil, Perfil epidemiológico, Prematuridade

Resumo

A mortalidade infantil (MI) é causada por uma junção de fatores biológicos, culturais, sociais e de falhas no sistema de saúde. No país, é possível observar que o controle da MI ainda não está evidente. Este estudo objetivou identificar as principais causas de internação hospitalar em uma Unidade de Terapia Intensiva Neonatal no ano de 2012 e estratificar as características dessa população. Trata-se de um estudo observacional transversal documental. Feita análise de 393 pacientes através dos resumos de alta neonatal e dados oficiais de óbito no período de janeiro de 2012 a dezembro de 2012. Os dados foram tabulados no programa “Originlab data analysis” e formatados no programa Excel. A prematuridade representou a principal causa de internação e óbito neonatal identificada no trabalho. Baixo peso ao nascer, idade gestacional inferior a 34 semanas e o tempo de internação hospitalar também foram características analisadas favorecendo um maior risco de óbito. Esforços para melhor estratificação de dados dos perfis epidemiológicos nacionais são importantes para melhor atenção a essa faixa etária neonatal.

Biografia do Autor

Maryana Neves de Souza, Faculdade de Medicina de Campos.

Faculdade de Medicina de Campos - FMC, Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro

Eduardo Shimoda, Universidade Candido Mendes - UCAM, Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro

Universidade Candido Mendes - UCAM, Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro

Shaytner Campos Duarte, Faculdade de Medicina de Campos.

Faculdade de Medicina de Campos - FMC, Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro

Publicado
2018-06-29
Seção
Artigos Originais