ABDOME AGUDO PERFURADO DEVIDO À POSSÍVEL TUBERCULOSE PERITONEAL: UM RELATO DE CASO

  • Paola Sardenberg Alves FMC
  • Antonio Simao Faculdade de Medicina de Campos.
  • Felipe Eulalio Pessanha Baldi
  • Maria Luiza Colodet Caus Faculdade de Medicina de Campos.
  • Pedro Furlan Silott Faculdade de Medicina de Campos.
  • Thais Rodrigues Nunes Faculdade de Medicina de Campos.
Palavras-chave: tuberculose; pneumoperitônio; abdome agudo perfurado.

Resumo

RESUMO

Introdução: Tuberculose é um doença infecto parasitária, transmissível, crescente em países subdesenvolvidos. O principal órgão acometido é o pulmão. Porém, sabe-se que entre as infecções extra pulmonares, a abdominal acontece em cerca de 12% dos casos, sendo o peritônio o principal foco. Objetivo: Descrever um caso de um paciente bacilífero com peritonite submetido a laparotomia exploradora. Descrição: Paciente do sexo masculino, 19 anos, presidiário, com quadro de dor abdominal em cólica em região epigástrica de forte intensidade, tosse produtiva, febre e emagrecimento há 03 meses. Foi identificado ainda hepatomegalia e ascite. Radiografia de tórax evidenciou padrão de tuberculose miliar, associada à pesquisa de BAAR no escarro com resultado positivo. Após internação hospitalar, iniciou esquema RHZE. No terceiro dia, sem melhora do quadro, foi solicitado tomografia computadorizada de abdome com diagnostico de pneumoperitôneo. Sendo submetido então à laparotomia exploradora, que constatou lesões nodulares múltiplas e esbranquiçadas, sugestivo de tuberculose peritoneal. Foi identificado também perfuração em parede anterior do estomago, realizada gastrostomia e encaminhado para Unidade de Terapia Intensiva para suporte clínico com nutrição parenteral total. No terceiro dia de pós operatório o paciente veio a óbito. Conclusão: A tuberculose peritoneal é uma situação rara com alta morbidade e mortalidade, sendo que o prognóstico depende do diagnóstico e tratamento precoces.  Essa patologia deve-se sempre ser lembrada em pacientes que evoluem com hepatoesplenomegalia e ascite, principalmente se já houver foco pulmonar pré-existente.

Biografia do Autor

Antonio Simao, Faculdade de Medicina de Campos.

Cirurgião Oncológico e Preceptor da Faculdade de Medicina de Campos.

Felipe Eulalio Pessanha Baldi

Cirurgião do Aparelho Digestivo.

Maria Luiza Colodet Caus, Faculdade de Medicina de Campos.

Academico(a) 12º periodo da Faculdade de Medicina de Campos.

Pedro Furlan Silott, Faculdade de Medicina de Campos.

Academico(a) 12º periodo da Faculdade de Medicina de Campos.

Thais Rodrigues Nunes, Faculdade de Medicina de Campos.

Academico(a) 12º periodo da Faculdade de Medicina de Campos

Publicado
2018-06-29
Seção
Relato de Caso